Publicado em Deixe um comentário

Dia do Leitor – Séries de Livros Preferidas

Dia do Leitor

Ontem, dia 07 de janeiro foi dia do leitor, e em homenagem à esse dia incrível decidimos fazer uma lista de série de livros de aventura e de ficção preferidas <3. E como já dizem em desventuras em série (vai ter post em breve) “A minha experiência diz que pessoas que leem bastante tem menos chances de serem más” (QUAGMIRE, Quigley. 2019).

A ordem dos livros a seguir não é necessariamente é por preferência, mas é com certeza são as séries que eu mais gostei de ler.

Desventuras em Série (1999 – 2006)

Desventuras em Série: Violet, Klaus e Sunny Baudelaire

Caro Leitor, eu não poderia deixar de citar essa incrível série de histórias escritas pelo Lemony Snicket (pseudônimo) nesse tão amado Dia do Leitor. Porque, além de serem livros intrigantes, cheios de mistérios, referências, e incluindo referências dos nomes à histórias reais, à músicos e escritores, é ainda um Universo completo em torno do ponto de vista do personagem Lemony Snicket criado pelo real autor: Daniel Handler.

Desventuras em série é tão perfeito, que mesmo os nomes dos livros são padronizados, a estrutura de todos os livros também. E é realmente um mundo inteiro pra ser explorado, além de deixar tanta dúvida ao longo das histórias, que você acaba criando suas próprias teorias sobre tudo. Se você já leu a série principal de Desventuras, recomendo os outros livros de Lemony Snicket, como Só Perguntas erradas (4 livros e meio) e a Autobiografia não autorizada <3.

Os livros falam de 3 órfãos que se veem tentando sobreviver depois que um incêndio matou ambos os seus pais, além de os deixarem sob a tutela de um “tio” chamado “Conde Olaf” que tudo que deseja é roubar sua herança quando chegarem aos 18 anos. Violet, a mais velha, é uma inventora genial, Klaus, o irmão do meio, que adora ler e é basicamente uma enciclopédia, e a bebê Sunny, que além de muito inteligente, ajuda os irmãos a se salvarem, basicamente, mordendo. A história é contada por Lemony Snicket, que é parte ativa da história também, e que deixa pistas sobre a verdadeira história por trás de todos os incidentes que acontecem com os órfãos.

A Crônica do Matador de Rei (2007 – 2011)

Kote

Absolutamente um dos melhores livros de fantasia que eu já li. Tem até promessas para uma futura série. As crônicas do matador de rei conta até o momento com dois livros. A trilogia não finalizada do Patrick Rothfuss é um universo fascinante que dá novas perspectivas sobre vilões e heróis. Sobre bem e mal. É um livro tão fascinante que o protagonista tem uma conexão tão forte com a música, que você quase consegue ouvir, ou sentir da forma como ele descreve. Além de uma história envolvente, cheia de detalhes e mistérios, é fascinante tentar entender o Universo ao mesmo tempo que a forma da história em ser contada faz tudo ser ainda mais incrível.


O Nome do Vento acompanha a trajetória de Kvothe e o seu desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas. Além disso, a sua busca por reunir informações sobre o Chandriano – os lendários demônios que assassinaram sua família no passado, que guiam praticamente toda sua vida e suas decisões. O Temor do Sábio, o segundo livro da série Kvothe explora o mundo fora da Universidade. O terceiro livro já tem nome: As portas de pedra (ou Portões de Pedra), mas nenhuma data de publicação, porque, ao que tudo indica, o Patrick é perfeccionista demais, e já apagou o livro várias vezes por não estar feliz com o final ainda.

Senhor dos Anéis (1954 – 1955)

“Courage is found in unlikely places.”
(Coragem é encontrada em lugares improváveis)

No dia do leitor, não poderia mesmo faltar a melhor trilogia de fantasia, que influenciou e ainda influencia tudo que hoje se conhece sobre o mundo da fantasia. Criou o que conhecemos hoje de RPG’s (Dungeons and Dragons), além de ser uma história incrível sobre nove seres de raças diferentes a trabalhar juntas – A sociedade do anel (o que já é uma grande conquista).

A história se passa na Terra Média, em sua Terceira Era, habitada por humanos, hobbits, elfos, anões, orcs, magos, etc. A terra é baseada é uma Europa mitológica, e reúne muitos elementos e personagens dessa mitologia. A história gira em torno da busca por poder que está prestes a destruir o mundo. O livro, além de incrível, foi escrito durante a segunda guerra mundial. O próprio Tolkien lutou na primeira guerra mundial e seu filho partiu para lutar na segunda. É uma dura crítica a busca pelo poder e destruição de exploração desenfreada de recursos naturais.

Senhor dos Anéis já foi traduzido para mais de 40 línguas. O universo conta ainda com vários outros livros que sustentam a mitologia por trás da história dos anéis: Silmarilion, o O Hobbit, Contos Inacabados… Os livros de Tolkien influenciaram grandes histórias como o Ciclo da Herança (Eragon), Trilogia de Fronteiras do Universo (Bússola de Ouro) e Crônicas de Gelo e Fogo (Game of Thrones).

 “Um Anel para todos governar, Um Anel para encontrá-los, Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los”.

Trilogia Fronteiras do Universo (1995 – 2000)

Fronteiras do Universo

Escrita pelo autor Philip Pullman, a trilogia é formada pelos livros A Bússola de Ouro (1995), A Faca Sutil (1997) e A Luneta Âmbar (2000).  A série gira em torno de duas crianças: Lyra e Will. Toda a história gira em torno de Universos Paralelos, onde cada um deles conta com elementos únicos, seres mitológicos, Ursos falantes, Feiticeiras e até mesmo espíritos fora do corpo que tomam forma de animais. Em Bússola de Ouro, o mundo é parecido com o nosso com uma ambientação vitoriana, onde o principal meio de transporte são os Zeppelin, além de explorar através da retórica, onde o magisterium (a igreja) controla o mundo de Lyra.


Os livros exploram ainda temas da física, da teologia, biologia e até filosofia, que torna a história ainda mais intrigante e completa. É definitivamente uma das minhas histórias preferidas, e não tem idade para ler. Apesar de ser classificada como infanto-juvenil, assim como desventuras, tem elementos que tornam uma história totalmente atemporal.

Uma série de televisão foi anunciada para contar a história (já que o filme com certeza não conseguiu). Pullman escreveu outros livros baseados no Universo de Fronteiras do Universo: as Lyra’s Oxford (A Oxford de Lyra), em 2003, Once Upon a Time in the North (Era uma vez no Norte), em 2008, e o romance La Belle Sauvage, primeira parte de The Book of Dust (O Livro das Sombras), em 2017.

Brumas de Avalon (1983)

Brumas de Avalon

Apesar de ter lido muito nova, é uma história que eu ainda guardo muitos dos detalhes dos quatro livros pela forma como ela foi contada. Os livros são da escritora Marion Zimmer Bradley e são ambientados durante a vida do lendário (e do cara que mais tem filmes sobre ele), Rei Arthur.

A história começa bem antes de Arthur se tornar Rei e é contada de uma perspectiva diferente da que costumamos ver, do ponto de vista das personagens femininas: Morgana, Guinevere e Morgause. Dessa forma, essas personagens tem uma importância muito maior, além de apresentar personagens como a Senhora do Lago e Merlin como títulos político-religiosos da matriarca e do patriarca dos celtas pagãos.

Os livros foram divididos em quatro momentos e narra algo em torno de 70 anos. Esse espaço de tempo não é preciso, mas começa com uma Morgana bem jovem até seus momentos de idade avançada. Muitos fatos históricos que são ignorados em outras histórias do Rei Arthur, como o paganismo e a presença de importantes figuras femininas na formação do que conhecemos como Bretanha. Os quatro momentos são:  A Senhora da Magia, Grande Rainha, O Gamo-Rei e o O Prisioneiro da Árvore. 

Guia dos Mochileiros das Galáxias (1979 – 1992)

Guia dos Mochileiros da Galáxia – Praticamente inofensiva

Certamente minha série de livros preferida da Galáxia (ham….hamm.. sacaram?). Guia dos Mochileiros das Galáxias (conhecido também pelos íntimos apenas como Guia), foi escrito por Douglas Adams, e conta com 5 livros no total, e um sexto escrito por Eoin Colfer em 2009. O livro é na verdade uma adaptação à série transmitida pela BBC Radio em 1978.

Guia dos Mochileiros das Galáxias na verdade um dicionário “digital” que conta com palavras de todo o Universo (antes mesmo de os e-books e e-readers aparecerem) com definições e até mesmo opiniões sobre os mais diversos itens e planetas, e que ajuda os mochileiros que passeiam pelo Universo a se adaptarem e garantirem seus melhores momentos, com as melhores bebidas.

Os principais personagens são Arthur Dent, um humano inglês, Ford Prefect, um alien dos arredores de Betelgeuse e que trabalha para o Guia, Zaphod, presidente Galáctico, Marvin, o robô, e Trillian, também uma humana. O livro conta com uma história complexa e completa onde os 5 viajam pela Galáxia, através de restaurantes no fim do Universo. Mas o mais importante mesmo é que Douglas Adams conseguiu colocar dentro de uma história, que seria aparentemente cômica, várias referências e críticas, como a própria destruição da Terra.

Depois de ler uma das séries mais aclamadas pelo mundo geek, lembrem-se: carreguem suas toalhas e Don’t panic.

Discworld (1983 – 2015)

Discworld – referência do mundo na visão Hindu

Discworld é uma série (a qual ainda não finalizei), mas que me surpreendeu bastante. Terry Pratchett escreveu mais de 40 livros, conta que o ideal não é mesmo começar pelo seu primeiro livro “A cor da magia” (1983), e tem até guia de como ler os livros. A gigantesca série ficou famosa por satirizar grandes nomes de escritores de fantasia, incluindo Tolkien assim como RPG’s e o cotidiano.

Discworld é um mundo de magia, plano (hello, terraplanistas) e sustentado nos ombros de 4 gigantescos elefantes (Grande T’phon, Tubul, Berilia e Jerakeen) e que estão em cima de uma enorme tartaruga A´Tuin (quase um Stephen King). Discworld mal pode ser considerado na verdade uma série, pois sua história não é contada da forma convencional.

Alguns personagens são recorrentes ao longo dos livros, porém, apesar de os primeiros livros serem o início da história criada por Pratchett, no final, acabam sendo um prólogo em muitos aspectos, dos livros escritos depois deles. Os livros 1 e 2 são basicamente uma grande sátira com espadas, dragões e masmorras, e missões que remetem ao universo do Tolkien, com um toque de universos paralelos de Lewis (Crônicas de Nárnia). Os livros estão amarrados com referências explícitas dos clássicos da mitologia e da literatura. Conta ainda com um humor irreverente e o seu primeiro anti-herói: o feiticeiro Rincewind, que é incapaz de lançar um feitiço.

É importante ressaltar, que fora os dois primeiros livros escritos, os demais livros não são sequenciais e cada um contem uma história completa e que não precisam necessariamente serem lidos em ordem cronológica (ou ordem nenhuma). Pratchett escreveu a série por quase 32 anos, até quando pôde, por conta do Alzheimer, um dos maiores escritores ingleses contemporâneos.

Outras séries

Eu sei que faltaram muitas séries incríveis, como Harry Potter e Crônicas de Gelo e Fogo, mas decidi escolher só as 7 preferidas, e por isso, fica aqui uma lista de outras séries incríveis:

  • Harry Potter (1998-2007) – J.K. Rowling (Uma série incrível pra se começar na vida de leitura)
  • Crônicas de Gelo e Fogo (1996 – ) – George R.R. Martin (lança logo o restante que eu não aguento mais)
  • Crônicas de Nárnia (1950 – 1956) – C.S. Lewis (minha introdução ao multiverso, onde minha paixão começou)
  • Ciclo da Herança (2002 – 2011) – Christopher Paolini (não está nos preferidos, porque o primeiro livro é excelente, os outros dois são apenas ok)
  • Série da Fundação (1942 – 1993) – Isaac Asimov (uma série incrível futurista, mas que não terminei de ler pra entrar na lista :D)

Então é isso, espero que tenham gostado da lista. Comentem suas preferidas e indiquem pra gente também, quem sabe sai post sobre alguma delas. Não conheço nenhuma série brasileira, com exceção da do André Vianco, então se tiverem alguma sugestão, manda pra gente ;).

Publicado em Deixe um comentário

Filmes de Natal – Dicas pra animar o espírito natalino

Então é Natal, Simone já toca há algum tempo nas lojas de todo o Brasil, piscas-piscas já consomem energia de todas as residências, e a temporada de Filmes de Natal está ai!

Nós da Loja 42 decidimos então separar alguns Filmes de Natal pra fazer você lembrar do espírito que está escondido em seu coração natalino e que foi abalado provavelmente pelas eleições.

Comecemos com Filminhos Netflix new and fresh, exclusivos e cheios de clichês:

Filmes de Natal da NETFLIX

A Princesa e a Plebeia (2018)

Bem que poderia ser um filme da Barbie, mas é o filme da Netflix comédia romântica, sonho de algumas mulheres. A história é sobre a Vanessa Hudgens fazendo a princesa, Margaret, que na verdade é duquesa, e a plebeia, Stacy (ohh!). Um esbarrão de nada faz elas trocarem de vida magicamente. Uma então se apaixona por um príncipe (a plebeia) e a outra pelo amigo de trabalho da Stacy (a princesa). É só isso mesmo! Mas admito que é mais divertido do que eu esperava! Aqui embaixo o trailer diretinho do twitter da Netflix.

Crônicas de Natal (2018)

Sobre dois irmãos que perderam o pai e acabam se afastando um do outro. Sem querer, enquanto vê vídeos antigos, a irmã mais nova Kate vê um vulto do Papai Noel. Teddy, o irmão mais velho, em troca de a irmã guardar seu segredo, decide ajudar a pegar outra imagem do Noel nesse ano. Eis que, empenhados em gravar o bom velhinho na câmera, acabam quase estragando o Natal. E pra não fazer a desfeita e não ficarem pra sempre na lista de malcriados, ajudam o Noel a salvar o Natal!!!

O legal mesmo é que eles “explicam” o porque de o Papai Noel conseguir entregar todos os presentes a tempo, a bolsa da Hermione o saco de presentes infinito, as Renas, com todos os símbolos Noelísticos e Natalescos… Enfim, um filme muito fofo e com direito a Papai Noel cantando em plena Chicago <3. Melhor Cena. Confere aqui o trailer direto do site da Netflix <3. Acho que já entrou pra os clássicos de Filmes de Natal? Por mim, tá dentro já!

A very Murray Christmas (2015)

“A Very Murray Christmas” é uma comédia musical, dirigido pela Sofia Coppola. Nas vésperas de Natal, Bill Murray, apresentador de programa, se vê em uma saia justa porque uma nevasca ameaça a gravação do seu show. Ele decide enfim tentar apresentar o show mesmo com  a  iminência de nenhum dos seus convidados aparecerem.  Um filme com ótimas músicas. Participação de Chris Rock, Miley Cyrus, e muitos outros. O trailer você pode clicar aqui.

Não tão Clássicos

Harry Potter (2001-2011)

Harry Potter Christmas GIF - Find & Share on GIPHY

Provavelmente o filme mais reprisado atualmente na época de Natal. Quem não gosta de ver as cenas lindíssimas do Salão Principal de Hogwarts? Já virou parte dos clássicos dos Filmes de Natal.

As festas de natal em Hogwarts aparecem em “A pedra filosofal”, “A câmara secreta”, “O prisioneiro de Azkaban”. Mas em “O cálice de fogo”, o evento é o Baile de Inverno. Em a “Ordem da Fenix”, o Natal é na Nobre casa dos Black. No “Enigma do príncipe”, é a festa do Professor Slughorn, e depois na Toca. Já em “Relíquias da Morte”, Harry decide visitar o vilarejo de Godric’s Hollow, o mais traumático de todos.

Nos estúdios da Warner Bros de Londres está tendo evento especial de Ceia no local das gravações, com direito a visitinha ao estúdio. Os bilhetes foram “só” 270 euros, e estão acontecendo entre os dias 10 e 12 :D.

O Grinch (2000)

How the Grinch Stole Christmas, traduzido apenas como O Grinch, baseado na história do incrível Dr. Seuss. Jim Carrey, como o Grinch, é um personagem que odeia o Natal. Ele resolve então roubar todos os itens das casas das pessoas de “Quemlândia”, para estragar o Natal. Do meu ponto de vista, o problema do Grinch não era com o Natal, mas sim com as pessoas, então, totalmente compreensível. Quer trailer? Ah, tem a animação também!

Ugh GIF by The Grinch - Find & Share on GIPHY

Um Duende em Nova York (2003)

Dica de Natal - Um duende em Nova York

Elf – Um duende em Nova York conta a história de um menino chamado Buddy (Will Ferrell) que foi criado como Elfo doméstico no Pólo Norte. Quando percebem que o garoto Link cresceu demais, e não pertence à Kokiri Oficina do Papai Noel. Ele então descobre que seu pai biológico é Walter Hobbs (James Caan), o cara que saiu do contos de Natal, um Tio Patinhas da vida. Então ele decide fazer as pessoas de Nova York acreditarem e sentirem de novo o espírito de Natal. (Tipo como a gente ta tentando fazer com você com essa seleção de Filmes de Natal sensa.) Trailler aqui. Musiquinha final e cheia de emoção aqui. 

 Afinados pro Natal (2012)

Dicas de Natal - Afinados pro Natal

Afinados pro Natal (Mistle Tones) é um filme comédia musical. Holly, uma cantora muito talentosa, perde sua amada vaga no coral natalino para outra mulher. Pra esfregar na cara da sociedade, ela cria seu próprio coral pra participar de competições. Nesse meio tempo, faz amizades incríveis e, claro, um amorzinho pra não deixar passar em branco. As músicas são ótimas e os clichês super aceitáveis. Fica a Dica, e o trailer, é claro, aqui.

Animações

Minha quedinha por animações me fez fazer uma área especial só de Filmes de Natal animados incríveis. Segue ai:

Expresso Polar (2004)

Um dos melhores live actions feitos ainda hoje, Expresso Polar (Polar Express) é uma obra de arte em formato de Natal. Com a captura de movimento, Tom Hanks faz 5 personagens do filme. Incluindo um garoto que não acredita mais em Papai Noel. Nas vésperas de Natal ele fica à espera de um milagre sinais que o façam acreditar de novo no espírito natalino. Esse sinal vem na forma de um trem. O trem, que é conduzido por Tom Hanks, com a cara do Tom Hanks, e interpretado por Tom Hanks, está indo para o Pólo Norte, e o Tom Hanks o convida a embarcar.  O filme conta também com Steven Tyler, vocalista da banda Aerosmith, interpretando dois elfos. Pra mim já é um clássico de Filmes de Natal. Quer trailer bebê?

The Polar Express Film GIF - Find & Share on GIPHY

“às vezes as coisas mais reais no mundo são as que não podemos ver”

Padrinhos de Tóquio (2003)

Padrinhos de Tóquio (Tokyo Godfathers) está entre os meus favoritíssimos, tanto na lista de Natal, quando nos filmes de animação. Tudo bem que minha lista não é pequena. Mas esse filme é realmente incrível. Com direção de Satoshi Kon (de “Perfect Blue”) e baseado no romance de Peter B. Kyne, “Three Godfathers”.

Conta a história de Hana (Yoshiaki Umegaki), uma travesti com dois melhores amigos, a adolescente Miyuki (Aya Okamoto) e Gin (Toru Emori). Os três são moradores de rua. Nas véspera de Natal, porém, encontram um bebê abandonado. Enquanto Gin insiste em entregar pra polícia, Hana, com seu desejo de ser mãe, acha melhor cuidar dele. Quando as coisas complicam, pois percebem que não não tem condições de cuidar do bebê decentemente, decidem devolvê-los aos pais. As buscas se baseiam nas pistas deixadas no berço.

O mais comovente do filme (além do final), é como o trio enfrenta e apresenta seu passado, e como a amizade pode fazer verdadeiros milagres de Natal. Ele bem foge do estilo de Filmes de Natal que costumamos ver, com certeza uma outra perspectiva,  mas que história incrível!!! Pega aqui o trailer.

Satoshi Kon Animation GIF - Find & Share on GIPHY

A Origem dos Guardiões (2012)

Um filme de animação incrível, com direção de Peter Ramsey, e indicado a melhor animação no Globo de Ouro. “A origem dos guardiões” (Rise of the Guardians) é sobre um grupo de guardiões que protegem as crianças, e as lendas infantis do mundo inteiro:  Papai Noel, Fada do Dente, Coelho da Páscoa e Sandman. Claro que tem o vilão, Breu, que deseja transformar todos os sonhos em pesadelos, trazendo à tona seus piores medos. A Lua designa um novo guardião: Elsa Jack Frost. Um garoto que controla o inverno, e que sem entender muito bem a sua vocação de guardião, vai descobrindo o mundo e o seu próprio passado. Filmes de Natal, páscoa, Ano Novo, Pra antes de dormir, o tempo todo! Amo! Trailer aqui.

Charlie Brown: Contos de Natal (2002)

Essa animação do Charlie Brown, com nota 7.4 no IMDB  é uma obrinha de arte snoopyana, baseada nos personagens do ilustríssimo Charles M. Schulz. É de fato o único especial da TV que cita Schulz como criador póstumo. O especial é uma séria de vinhetas, cada uma estrelando um personagem diferente de Peanuts, em situações natalinas variadas.

Charlie Brown Dancing GIF - Find & Share on GIPHY

Menções honrosas

Algumas outras indicações de Filmes de Natal:

  • O Estranho Mundo de Jack (1993)

  • O Conto de Natal do Mickey (1983 – curta)

Natal é tempo de caridade, tempo de estar com a família.

 

  • Barbie – Um Natal Perfeito (2011)

Ah vai! é fofo

 

  • Love Actually (2003)

Nhow

 

  • As Doze Badaladas Dos Sinos De Natal (2011)

É isso!!! Espero que gostem!!! Na próxima, veremos indicações de séries, hein? E vocês? acreditam em Papai Noel ainda? Eu ainda hoje espero um trem preto gigantesco aparecer perto da minha casa pra me levar pro Pólo Norte!

Outras VÁRIAS indicações AQUI  e AQUI!!!

Beijos de Luz!!!